Ceará

Homem é preso após agredir companheira e obrigá-la a ter relações sexuais

homem-e-preso-apos-agredir-companheira-e-obriga-la-a-ter-relacoes-sexuais
Homem é preso após agredir companheira e obrigá-la a ter relações sexuais

Um homem foi preso no município de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), suspeito de agredir a própria companheira e obrigá-la a ter relações sexuais com ele. A ocorrência se deu no distrito de Tanques.

A informação repassada é de que ele teria agredido a mulher por ciúmes, e logo em seguida teria ameaçado ela caso ela não tivesse relações sexuais com ele. Ele a acusava de ter um relacionamento com outro homem – o que ela nega – e a agrediu repetidamente, com socos no rosto, mordidas na orelha. Ele também a estrangulou.

Leia mais | Guarda Municipal salva homem de linchamento e população se revolta contra agentes

>>>Clique aqui para seguir o canal do GCMAIS no WhatsApp<<<

Foto: Reprodução

O casal tem um filho de cinco anos de idade, que estava dentro de casa durante o ocorrido. Conforme relatado às forças de segurança, a criança já é acostumada com as brigas do casal e o pai agredia a mulher com frequência.

O suspeito, identificado como Francisco Rivaldo Matias Aquino, não tem passagens pela polícia, mas em 2020 a mesma mulher foi à Delegacia de Maranguape para solicitar uma medida protetiva, porque ele já a havia agredido anteriormente.

 >>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Os policiais, após receberem a informação da agressão, foram até a localidade de Tanques, onde identificaram a residência onde os dois moram com a criança. Lá, conseguiram realizar a prisão do homem. Ele foi levado para a delegacia, enquanto a mulher foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML), para fazer exame de corpo de delito, devido às agressões sofridas.

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

Fonte: gcmais.com.br