Fortaleza

“Era muito ciumento com ela”, diz avó de mulher grávida morta pelo ex-namorado

“era-muito-ciumento-com-ela”,-diz-avo-de-mulher-gravida-morta-pelo-ex-namorado
“Era muito ciumento com ela”, diz avó de mulher grávida morta pelo ex-namorado

Ingrid, uma mulher grávida de três meses que morava no bairro Jacarecanga, em Fortaleza, foi encontrada morta após ser espancada pelo ex-namorado na casa onde morava. A família da vítima, ouvida pela equipe de reportagem da TV Cidade Fortaleza, conta que a agressividade do homem já era conhecida.

“Era muito ciumento com ela, muito ciumento”, conta a avó da moça. “Parece que estavam terminando, aí ele não aceitava de jeito nenhum.” Ela conta ainda que, após o assassinato, o suspeito ainda foi à casa de um familiar da mulher para pedir emprestado dinheiro e uma caixa de som – sem que os parentes soubessem sobre o que havia acabado de acontecer. Ele está foragido.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Segundo a senhora, ela foi a primeira a notar a ausência de Ingrid. Ela conta que percebeu que algo havia acontecido e decidir ir até a casa da neta, quando o corpo da jovem foi encontrado debaixo da cama.

Mulher grávida é morta pelo ex-namorado em Fortaleza

Anderson Alexander Cabral Fernandes é acusado de cometer o crime contra a mulher, com quem namorava há apenas um mês.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

>>Clique aqui para seguir o canal do GCMAIS no WhatsApp<<<

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) apura as circunstâncias da morte. Equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) e da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) também foram acionadas e realizaram diligências no local. O caso está a cargo da 4ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que aguarda o laudo da Pefoce com as causas da morte.

Leia também | Incêndio atinge apartamento de edifício de 32 andares em Fortaleza

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

As informações também podem ser encaminhadas para o telefone (85) 3257-4807, do DHPP, que também é o WhatsApp do Departamento. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Fonte: gcmais.com.br